7 erros que você não pode cometer no seu fluxo de caixa

In Contabilidade, Finanças by Boleto FácilLeave a Comment

Os erros fazem parte da vida de um empreendedor. Em muitos casos, podem até ajudar o seu negócio a se estruturar. Porém, algumas falhas afetam diretamente o crescimento da empresa. Por exemplo, deslizes no fluxo de caixa que podem resultar em perdas significativas e problemas muito maiores. Um estudo recente do U.S Bank mostrou que mais de 80% das empresas que fecham as portas logo nos primeiros anos sofrem, justamente, com o seu controle financeiro.

Por isso, listamos o que você não deve fazer ao cuidar do seu fluxo de caixa e alguns erros que afetam a saúde financeira da sua empresa. Confira:

Acompanhar as finanças só “de vez em quando”

Atualizar seu fluxo de caixa não pode ser uma tarefa realizada apenas uma vez por semana. Ou, em casos piores, apenas em um dia específico do mês. A verificação diária e os registros atualizados são necessários sempre. Tanto para identificar problemas, quanto evitar riscos e resolver pendências antes que tragam consequências graves. O ideal é aliar um controle mensal das finanças ao acompanhamento diário, para ter uma visão ampla do caixa e, ao mesmo tempo, saber cada detalhe do que está acontecendo.

Registrar um dinheiro que ainda não foi recebido

Às vezes, por questões de praticidade, alguns empreendedores ou departamentos lançam recebimentos antes de ter o dinheiro na conta. Isso acontece em casos de vendas parceladas, contratos fechados ou boletos recém quitados, por exemplo. Mas essa prática pode deixar o seu fluxo de caixa inexato e possibilitar o surgimento de dívidas. Então, mesmo que o processo pareça mais demorado, lance valores apenas quando receber o dinheiro efetivamente.

Não ter categorias no fluxo de caixa

Ao separar as entradas e saídas do seu caixa em categorias, fica mais fácil entender o fluxo e identificar para onde está indo o dinheiro, quais são os valores investidos e como você pode otimizar pagamentos ou recebimentos. Um exemplo de divisão é identificar fornecedores, gastos com imóvel (aluguel, IPTU, água e luz), funcionários e colaboradores (salários, pró-labore, benefícios) e despesas administrativas ou gerais do seu negócio.

Não manter os pés no chão

Ser otimista em relação ao seu empreendimento é o que move o mundo dos negócios. Mas, quando o assunto é o departamento financeiro, você precisa ser realista, fazer projeções coerentes e manter-se sempre atento ao planejamento. Observe o histórico da empresa, os fatores sazonais, informações de mercado e o controle do caixa, sempre com base em dados concretos e não em opiniões vagas.

Não ser organizado e detalhista

Apesar da grande quantidade de softwares para gestão de fluxo de caixa, quem cuida desse setor deve estar sempre atento aos detalhes e manter uma rotina organizada. Lembre-se que escrever códigos, abreviações ou informações incompletas pode dificultar a gestão do caixa e fazer confusão na hora de analisar o que está acontecendo com o dinheiro. Então, padronize os dados, coloque informações completas e deixe as planilhas em dia. Os cuidados com tudo isso deixam as transações mais rápidas, melhoram o seu controle e minimizam os erros.

Fazer compras ou investimentos por impulso

Gastos por impulso afetam tanto as empresas quanto a vida pessoal. Um patrocínio sem antes estudar as condições, troca de equipamentos sem análise do caixa ou grandes encomendas num período ruim. Se o estoque ficar na prateleira e o retorno não for em curto ou médio prazo, esse pode ser um gasto por impulso. Isso indica que o dinheiro não estará mais disponível para outras necessidades. Aguarde a oportunidade certa! Esperar para comprar grandes lotes de produtos, encontrar preços mais acessíveis e investir apenas quando tiver certeza de como será pago.

Arriscar-se com créditos e pagamentos antecipados

Conceder crédito aos clientes sem analisar seu perfil pode ser imprudente. Tenha acesso a cadastros atualizados e não tenha medo de pedir garantias financeiras. Pesquise muito antes de fazer esse tipo de empréstimo – afinal, isso pode causar um desvio no seu orçamento futuramente, se algo der errado. Da mesma forma, evite pagar seus fornecedores com muita antecedência. A menos que exista um desconto atrativo, mantenha a data prevista no fluxo. Assim, não falta dinheiro em outros investimentos ou emergências.

Se você cuidar do seu fluxo de caixa com atenção e responsabilidade, vai perceber o que pode melhorar, evitar erros graves e planejar o futuro da sua empresa com mais segurança financeira!