desenhando um api model canvas

API model canvas: o que é e como utilizar

In Artigos by Boleto Fácil0 Comments

Você já ouviu falar em API model canvas? Essa matriz é uma derivação do famoso Business Model Canvas, usado por empreendedores que estão começando os seus negócios.

A versão específica para application programming interface pretende trazer valor para as aplicações e gerenciar as expectativas dos diferentes stakeholders que se relacionam ao projeto.

Ao comparar as duas matrizes, elas podem ser consideradas muito parecidas. Porém, o API model canvas tem uma característica muito singular e relevante: ela dá bastante destaque ao desenvolvedor.

Ao construir uma API você precisa ter os interesses do desenvolvedor em mente. Ele que vai utilizar a sua funcionalidade e, por isso, precisa ser o foco de todo o projeto. Caso a experiência desse stakeholder seja desagradável, é provável que o seu novo projeto nem chegue aos outros consumidores.

O API model canvas surge justamente para te auxiliar nesse aspecto: organizar as necessidades do programador de uma maneira visual.

Neste texto, vamos te ensinar a preencher o API model canvas, que vai auxiliar na construção de novas integrações para o seu ERP. Porém, antes de começar a colar post-its na sua matriz, é fundamental fazer um rápido exercício de design thinking. Olha só!

Design thinking na criação de APIs

Do que o seu consumidor final realmente precisa? Na construção de soluções para o seu ERP, você pode supor que o cliente (desenvolvedor) precisa de certas coisas. Porém, pode ser que essa necessidade nem exista, ou então que a solução pensada não funcione de maneira prática. Para evitar retrabalhos, reúna o seu time e pensem no seguinte fluxo:

design thinking na criação de APIs

1- Antes de tudo, defina com clareza qual é o problema que o consumidor encontra ao usar o seu ERP.

2- Na sequência, realize um brainstorm de possíveis soluções que poderiam ser criadas para sanar esse gap no ERP.

3- Selecione uma das soluções e faça um protótipo básico, apenas para explicar como seria o funcionamento. Atenção: esse não é o momento de fazer códigos. Simplesmente esquematize em um papel como seria o uso dessa possível API.

4- O protótipo fez sentido? Então, agora é a hora de testar uma versão simplificada. Apresente essa solução para alguns consumidores e recolha feedbacks. Aprenda com esses insights trazidos pelos desenvolvedores que consomem as suas soluções.

5- Se a solução fez sentido, é hora de partir para o API model canvas. Caso contrário, repita todo o processo até chegar em uma ideia que realmente valha a pena.

Como fazer um API model canvas?

Você já preencheu alguma vez um Business Model Canvas? Basicamente, a ideia do BMC é simplificar o plano de negócio. Em vez de escrever diversas páginas com o passo a passo de como divulgar, conseguir novos clientes, etc. coloca-se frases curtas, cada uma em um post-it respondendo questões sobre o projeto.

O API model canvas tem uma estrutura similar ao BMC, com a diferença de que traz questões comuns ao universo da economia de APIs.

api model canvas

A partir do momento que você preencher o API model canvas, terá uma noção muito mais clara dos seguintes fatores:

  1. Qual é a infraestrutura e os recursos necessários para a sua API;
  2. Características técnicas da integração;
  3. Uma visão clara de quem é o seu consumidor;
  4. Quanto de dinheiro você investirá e receberá com essa nova solução.

Preenchendo o API model canvas

Agora que você já sabe quais são os grandes objetivos do API model canvas, imprima essa matriz em um papel A3, separe os post-its e comece a preenchê-la. O ideal é que você solucione as perguntas na ordem que vamos apresentá-las aqui. Dessa maneira, todas as suas respostas vão seguir uma boa linha de raciocínio.

Proposta de valor da sua API

A proposta de valor deve deixar claro como que a API diminui as dores do consumidor. Na sua matriz, ela está no centro. Nela, preencha as seguintes questões:

a) Objetivos e estratégias para a API

Nesta área você precisa, basicamente, responder para que serve a sua API. Quais são os seus objetivos a curto, médio e longo prazo com essa integração? Que resultados vocês pretendem atingir com ela? E como vão medir o sucesso?

b) Descrição da API

Quais são as principais características da sua API? Ela pode ser acessível, customizável, aumentar a performance, diminuir custos e riscos no negócio, contar com um design único etc.

c) Design da API e implementação

Como que a sua API será implementada? Como a documentação será feita?

Área do consumidor

Os quadrados da direita da sua matriz serão os próximos a serem preenchidos. Para isso, siga a seguinte ordem:

a) Segmentação, público-alvo e posicionamento

Qual é o perfil do desenvolvedor que mais vai se beneficiar da sua solução? Ele costuma trabalhar com quais empresas e gosta de quais linguagens? Essas perguntas devem ser respondidas nesse quadrado.

b) Relacionamento com o desenvolvedor

Manter um relacionamento com os desenvolvedores que vão consumir a sua solução é excelente para o sucesso da sua API. Nesse quadrado, você deve expor quais são as ações que podem ser feitas para que você interaja com os consumidores. Vale pensar em hackathons, encontros, atividades online etc.

c) Canais

Como a sua API vai chegar até os desenvolvedores interessados? Que ações podem ser feitas para que os consumidores se tornem embaixadores da sua empresa, usando a funcionalidade e a indicando para os outros? O seu desafio é responder a essas questões nesse quadrado.

Leia também: Como dovulgar uma nova API no seu ERP.

Área de infraestrutura e recursos

Nesses quadrados você vai descrever a parte prática de desenvolvimento da sua API.

a) Atividades-chave

Aqui, coloque a lista de atividades que dão suporte a essa adoção, como: quais são as habilidades necessárias, em que plataforma ela será feita, etc.

b) Recursos principais

Quais são os recursos necessários para que a proposta de valor seja alcançada? Aqui, entram recursos financeiros, TI, pessoas especializadas etc.

c) Parceiros-chave

Quem são os seus parceiros e desenvolvedores (do seu time ou fora) que podem participar do desenvolvimento dessa API? Que atividades eles vão desempenhar?

Custos

Por fim, chegou a hora de falar de valores, tanto os que serão gastos para o desenvolvimento da sua API, quanto os que retornarão, caso essa integração seja paga.

a) Fluxo de receita

A sua API será monetizada? Se sim, é aqui que você deve falar qual será o valor e como essas cobranças serão realizadas.

b) Estrutura de custos

Mesmo que a sua API seja construída internamente, esse trabalho tem um custo. O seu time de desenvolvedores precisará dedicar tempo para que o projeto saia do papel e isso tem um preço. Além disso, vocês também podem precisar pagar plataformas, e outras ferramentas necessárias para esse desenvolvimento.

Após o preenchimento do API model canvas fica muito mais fácil de se ter uma visão do projeto como um todo. Com a matriz completa, converse com todos os times que vão se envolver nesse projeto (desenvolvedores, marketing, etc) e coloque a mão na massa!

 

Deixe um comentário