Como calcular a inflação?

In Artigos by Luiza Marques Comments

Os preços dos produtos e serviços que você consome se modificam com a inflação e, ao passar dos anos, os valores só tendem a aumentar. Por conta disso, quem presta serviços ou trabalha com fabricação própria, precisa aprender a calcular a inflação. Dessa maneira, pode saber quanto deve cobrar para cobrir os custos fixos e para render lucro no final do mês.

Não sabe por onde começar esse cálculo? Vamos explicar tudo sobre a inflação aqui nesse post. Olha só:

O que é a inflação?

O termo está sempre presente nos noticiários, mas já percebeu que, dificilmente, buscamos entender o seu conceito? Mas entender o significado é mais simples do que parece. A famosa inflação indica o aumento no nível de preços. Com base no mercado e na expansão monetária, cria-se uma média dos custos de bens e serviços em um determinado período, prevendo a porcentagem que os valores vão subir. Quando o oposto acontece e os preços caem, acontece a deflação, que também influencia a maneira como as pessoas gastam.

Como ela afeta o meu negócio?

A preocupação com o aumento dos preços é natural – afinal, ninguém quer ter uma surpresa no caixa do supermercado. Porém, para o empreendedor, saber como anda a inflação é fundamental! Esse crescimento nos custos afeta diretamente a economia e a forma de investir dinheiro. Isso acaba resultando em alterações no valor pago a fornecedores, transportadoras, matéria-prima e aos funcionários.

E como a inflação é calculada?

A inflação é calculada por órgãos oficiais, que realizam pesquisas em amostras de domicílios. Para isso, avaliam os itens da cesta básica e, aplicando questionários e cronogramas, conseguem estabelecer uma relação dos custos, indicando aumento ou queda dos preços. Esses dados podem ser consultados em páginas oficiais. Confira o IPC Brasil, o Banco Central e o IBGE, que ajudam a verificar mudanças a cada mês e ano.

Mas, para quem está querendo calcular a inflação por conta própria, é preciso definir um período de análise e, então, aplicar a fórmula:

IPC atual – IPC histórico IPC atual* 100

O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) atual indica o valor mais recente que você deseja calcular. O IPC histórico é o primeiro valor do período analisado. O resultado, em porcentagem, indica qual foi a taxa de inflação. Esse número mostra, em reais, quanto a mais um produto passou a custar. Se o valor for negativo, aconteceu um período de deflação nos preços que você analisou.

Para facilitar conta, utilize esta calculadora, que garante informações seguras, por se basear nos indicadores utilizados para avaliar a inflação.

Quais são os indicadores?

A inflação é calculada com base em diversos índices, principalmente o IPCA e  IGP. O primeiro, Índice de Preços ao Consumidor Amplo, verifica o nível de preços como um todo, com um cálculo que ajuda o Copom (Comitê de Política Monetária) a controlar a inflação através da taxa de juros.

Já o Índice Geral de Preços voltado ao Mercado (IGP-M) é composto pelos índices de preços no atacado, preços ao consumidor e do índice nacional da construção civil – indicadores calculados pela Fundação Getúlio Vargas.

Esse índice também possui a variação Disponibilidade Interna (IGP-DI), que apura os valores do processo produtivo, incluindo matérias-primas, produtos intermediários, bens e serviços finais, além de preços de construção. Com essas duas variações do IGP, é possível identificar variações cambiais e choques de preços.

Existem, ainda, o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que verifica a variação do custo de vida em famílias com rendimento entre 1 e 5 salários mínimos. O IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal), que avalia os preços de 388 itens de 10 em 10 dias. E o IPC-Fipe, que verifica os preços de itens consumidos por famílias de São Paulo com rendimento entre 0 e 10 salários mínimos.

O que faço depois de calcular a inflação?

Ao saber o valor que um produto custa e qual foi a porcentagem de crescimento do seu preço nos últimos anos, é possível reorganizar a sua própria tabela de preços. Para isso, leve em consideração quanto está gastando a mais para manter o estoque ou realizar seu serviço, por exemplo. Assim, você não corre risco de cobrar muito barato ou desfalcar seu caixa na hora de cobrir custos/ eventuais despesas.

Depois de definir o valor dos seus produtos ou serviços com base no cálculo da inflação, organize as suas cobranças usando o Boleto Fácil, que permite automatizar a geração de boletos, concentrar informações sobre os clientes e facilitar esse processo burocrático dentro da sua empresa.