Larguei o meu emprego. E agora? — Plano de ação para freela

In Artigos by Luiza Marques0 Comments

Depois de tantos anos trabalhando com carteira assinada, você finalmente resolveu sair do seu “trabalho convencional” e começar a atuar como freela (freelancer). Antes de tudo, parabéns por essa nova fase! Ela vai te trazer mais liberdade, mas também vai exigir muita dedicação, esforço e resiliência.

Sim, ser freela é um excelente lifestyle. Porém, para adotar essa forma de trabalho, é preciso muito planejamento. Caso contrário, a chance de você se desorganizar financeiramente ou passar meses sem nenhum trabalho pode ser grande.

Pensando justamente em te ajudar nesse novo período, criamos um pequeno manual que pode ser colocado em prática em quatro semanas. Ele traz dicas de ações que você pode fazer por um mês, para começar a trabalhar como freelancer. Confira e boa sorte nos próximos dias!

Plano de ação para se tornar freela em 30 dias

Semana 1

Formalizar a sua empresa

A nossa dica é que a primeira coisa que você faça durante este mês seja formalizar a sua empresa. Antes de dar sequência aos trâmites legais é importante decidir se você deseja ser um Microempreendedor Individual ou abrir uma Microempresa. Para tomar essa decisão, vale entender qual é a diferença entre MEI e ME. Olha só:

O que é e quem pode ser MEI?

Criado em 2008, o MEI tem o objetivo de formalizar pessoas que querem trabalhar com venda de produtos ou prestação de serviços. Ele é um formato com pouca burocracia e ideal para quem pretende faturar até R$60 mil por ano. Para conferir se a sua atividade como freela se encaixa na categoria de Microempreendedor Individual, acesse este link.

As principais vantagens de ser MEI são que você consegue tirar seu CNPJ em poucos minutos, pela internet. Além disso, nesse formato, não precisa de um contador e pode ter até um funcionário com carteira de trabalho.

Para tornar-se MEI, é só entrar no Portal do Empreendedor e fazer o seu cadastro.

Saiba mais detalhes de como ser MEI neste artigo.

O que é como ser ME?

Já a ME é um formato para quem prevê receber até R$360 mil por ano. Com ela, pode contratar estagiários e funcionários, além de poder exportar produtos e serviços. Para conseguir abrir uma Microempresa, o processo não é tão simples quanto o MEI.

Em geral, o processo de abertura nesse formato demora em média 100 dias no Brasil e exige a contratação de um contador e advogado. Além disso, para ser ME você também precisa protocolar pedidos na prefeitura e Junta Comercial. Para fazer esse processo de uma maneira ágil e financeiramente acessível, você pode contar com a Contabilizei, empresa de contabilidade online, presente nas principais cidades do Brasil.

Definir seus objetivos de vida

Muitas pessoas acabam se tornando freelancer sem necessariamente se organizar para isso. Você, que está num plano de tornar-se prestador de serviços em 30 dias, deve parar por alguns instantes e definir quais são as suas metas.

Quais são os seus objetivos de vida nos próximos anos? Pretende construir uma família ou ter uma casa? A sua ideia é trabalhar como freela por quanto tempo? Pretende adotar o estilo de vida nômade (que está muito em alta entre os profissionais neste momento)?

As respostas que você der para essas questões podem te ajudar a se organizar como freelancer e entender quanto de dinheiro deve poupar por mês, quantos clientes precisa conseguir para manter o seu lifestyle, entre outros.

Definir o seu posicionamento

Por fim, você também pode decidir como deseja se posicionar como freela: vai usar o seu nome de pessoa física, ou criar um nome para a sua empresa? Pensar nisso é fundamental para próximas semanas do seu plano de se tornar freelancer em 30 dias.

Escolher se você vai usar seu nome pessoal ou fantasia depende muito da sua área de atuação. Pode reparar: fotógrafos, em geral, usam seus nomes. Já quem trabalha com marketing, cria um outro título para a empresa.

Vale lembrar que, ao usar o seu nome, marca e pessoa acabam se misturando. Isso é interessante se o seu objetivo é ser o foco da empresa, sem um grande time, por exemplo.

Semana 2

Fazer um Canvas

O Canvas é uma ferramenta excelente para quem deseja começar um negócio. Isso também inclui adotar uma vida de freelancer! Com ele, você pode organizar quais são as suas propostas de valor, como você pretende se relacionar com seus clientes, quais são os canais que vai usar para se comunicar, quais são os cursos para manter o seu negócio como freela funcionando e muito mais.

O Sebrae conta com uma ferramenta própria que te ajuda na criação do seu Canvas. Por meio deste link, você pode fazer o seu planejamento usando um app que te deixa arrastar e reorganizar os post-its virtualmente. Prefere a versão offline, com papel a caneta? Então é só baixar o
modelo de Canvas para imprimir.

Definir o perfil dos clientes

Como freela, você vai se deparar com inúmeras possibilidades e perfis de clientes. Para conseguir construir uma reputação e tornar-se referência, é interessante já começar a focar os seus esforços numa determinada área. Se você é jornalista freelancer, pode decidir que vai trabalhar apenas escrevendo textos para revistas e jornais, ou então focar em conteúdo digital para empresas, por exemplo. Como fotógrafo, pode optar por apenas fazer casamentos, ou então book de recém-nascidos.

Para decidir onde focar os seus esforços, leve em consideração coisas como:

o que o mercado está realmente precisando na minha área?
o que eu gosto de fazer?
o que pode me render mais dinheiro?

Responda a essas questões e aproveite para já se posicionar numa determinada área desde o início do seu negócio. Obs: ao preencher o Canvas, você já precisa pensar nisso. Porém, a nossa dica é que você invista um tempo especial pensando em quem serão os seus clientes!

Criar uma identidade visual

Na semana um você já definiu se vai usar o seu nome físico ou um nome fantasia. Agora, chegou a hora de criar uma logo, para deixar o seu negócio ainda mais profissional. Entre em contato com aquele seu amigo designer e explique o foco do seu negócio. Ele pode ajudá-lo a criar um branding para a sua empresa.

Caso você não tenha condições financeiras de pagar alguém para fazer esse trabalho, pode utilizar algumas ferramentas disponíveis na internet que te ajudam a dar uma carinha mais profissional pro seu negócio. Pode ser pelo Logo Maker do Wix, do Squarespace, Canva ou então pela LogoYes.

Semana 3

Precificar o trabalho

Enquanto você fazia o seu Canvas, respondeu algumas questões relacionadas à monetização do seu trabalho. Porém, como esse é uma área extremamente importante para a sobrevivência do seu negócio como freela, sugerimos que você invista mais tempo no assunto.

Para chegar no valor ideal para o seu trabalho, pesquise quanto os seus colegas de profissão cobram para realizar a mesma atividade. Além disso, também leve em consideração quanto deseja receber por hora. Nós escrevemos um texto que traz algumas dicas de como precificar. Clique aqui para ler.

Fazer site

Independente da sua forma de apresentação como freela (com seu nome ou nome da empresa), é fundamental que você tenha um site. Coloque nele o seu portfólio, seus dados pessoais e informações relevantes que podem te ajudar a fechar um cliente, como prêmios, cursos, etc.

Caso você não tenha condições de contratar um profissional para fazer o seu site, invista seu tempo em plataformas como o Wix,Squarespacee About.me, que te ajudam a criar uma página na internet com facilidade.

Escolher de onde vai trabalhar

Uma das principais queixas de quem é freelancer é a solidão. A partir do momento que você deixa de trabalhar num “emprego convencional”, com uma série de outras pessoas, o baque de desenvolver as tarefas sozinho acaba sendo grande.

Se você se considera uma pessoa disciplinada e que não se importa de ficar sem companhia, o home office pode funcionar bem para a sua vida de freela. Agora, se o seu perfil é de gostar de ter gente por perto, pode ser que um coworking funcione melhor para a sua rotina.

Esse é um bom momento para analisar os escritórios compartilhados da sua cidade e ver qual mais se encaixa no seu perfil. Além de te trazer disciplina e evitar a solidão, os coworkings são excelentes lugares para conseguir clientes.

Se quiser ajuda, o BeerorCoffe sugere os melhores coworkings na sua cidade, e você ainda pode usar um dia grátis para experimentar.

Semana 4

Avisar os amigos que você está freelando

Você já tem toda a estrutura que precisa para freelar. Agora, chegou a hora de conseguir os primeiros clientes! Nossa sugestão é que você comece com quem já conhece o seu trabalho: fale com os seus amigos sobre a sua nova fase como freelancer. Pode ser que eles já possam te indicar para alguns contatos. Esse tipo de “ponte” é excelente para quem está começando!

Fazer uma busca ativa de clientes

Você também pode fazer uma busca ativa de clientes. Caso você seja um designer, aborde alguma empresa específica, com uma solução de branding, por exemplo. Como são os seus primeiros clientes, ofereça um preço melhor para esse cliente. Isso é legal para eles, que vão poder se apresentar melhor para o público, e para você, que terá material para o seu portfólio de freelancer.

Cadastrar-se em sites de freela

Além de contar com indicações e fazer buscas ativas de clientes, você também pode se cadastrar em sites focados nesse tipo de trabalho. Com uma rápida busca na internet, é possível encontrar sites de freelancers específicos para cada segmento. Alguns dos principais, que são focados em designers, produtores de conteúdo e programadores são:

WeDoLogos: O WeDoLogos permite que você crie a identidade visual para um cliente final, que contrata um pacote no site.

Rock Content: A Rock Content é uma das maiores empresas de marketing do Brasil e trabalha com freelas para redatores, revisores, designers e planejadores de conteúdo.

GetNinjas: GetNinjas é a maior plataforma de contratação de serviços do Brasil. Eles oferecem vagas das mais diversas áreas, incluindo design, moda, publicidade, saúde, reformas, serviços domésticos, etc.

Freelancer.com: A Freelancer.com é a maior plataforma de trabalho independente do mundo, com mais de 22 milhões de profissionais e empresas registrados. Eles têm uma ampla oferta de projetos de diversas áreas, o que possibilitará a você encontrar diversas opções de trabalho.

Vai virar freela? Então invista em um bom meio de pagamentos para cobrar os seus clientes. A nossa dica é que você adote a JUNO, possibilita que você realize cobranças por boleto bancário e cartões de créditos. Saiba mais sobre essa solução.

Deixe um comentário