Por que as empresas fecham?

In Empreendedorismo by Boleto Fácil0 Comments

Por que as empresas fecham? Você já se perguntou?

Você já deve ter escutado que os dois primeiros anos são os mais difíceis para os negócios. Nesse período, empresas de pequeno ou médio porte passam por diferentes dificuldades para se estabelecer. Alguns dos maiores problemas são: conhecer o setor, prospectar clientes e – principalmente – cuidar bem do seu departamento financeiro.

Mas o despreparo para a administração não é o único motivo que leva empresas a fecharem suas portas. Separamos algumas razões que afetam o crescimento de um negócio e cuidados que você deve tomar ao empreender:

Copiar uma empresa ou seguir um modelo

Cada empreendimento possui o seu próprio modelo de negócio. Por mais que estejam em um mesmo segmento, uma empresa não deve copiar integralmente o que é feito por outra. Dá para se inspirar em casos de sucesso, claro. Mas ao abrir o seu próprio negócio, você deve adaptar os modelos à sua realidade, descobrir o que funciona para a sua empresa e, principalmente, buscar inovação para se destacar no mercado.

Negligenciar a rotina da empresa

Quem abre o próprio negócio não pode terceirizar sempre o serviço ou permitir que a empresa se movimente apenas pelas mãos dos funcionários. Deixar de acompanhar cada departamento e não ter uma visão geral do seu negócio é bastante arriscado. Dedique-se à rotina da empresa e tenha supervisores de confiança. Não deixe nunca de entender o que está acontecendo, para poder prever crises ou gerenciar um problema.

Não controlar o seu fluxo de caixa

A administração e a contabilidade podem se tornar o pesadelo de qualquer empresário. É preciso adotar um sistema para controlar a entrada e saída de dinheiro, manter planilhas atualizadas e cuidar das finanças com atenção. Deixar as contas de lado pode causar problemas financeiros graves. Quando você menos esperar, estará preso em uma bola de neve ou sem recursos para reverter a situação financeira da empresa.

Acreditar que não precisa investir em comunicação

O boca-a-boca funciona, mas não garante o sucesso e a visibilidade da empresa. Sem estratégias coerentes de marketing (tanto na divulgação quanto na maneira de falar com clientes nos canais digitais), a empresa permanece no anonimato. Em pouco tempo, ela pode acabar fechando as portas. Conheça bem o mercado que quer atingir, descubra onde o seu público está e trabalhe com profissionais de comunicação para direcionar a mensagem certa ao cliente.

Não se adaptar

O mundo dos negócios muda constantemente. Quem for contrário às novidades pode acabar ficando para trás e colaborar para o fracasso do empreendimento. Inovar é uma das palavras-chave do empreendedorismo. Em qualquer mercado, é fundamental estar por dentro das tendências, descobrir as opiniões de clientes e conseguir informações sobre a sua área o tempo todo.

Não ir atrás de novos clientes

Muitas empresas que fecham ou têm dificuldades nos primeiros anos apontam a falta de clientes como um dos maiores empecilhos. Enquanto sua empresa é jovem, será necessário abrir um pouco o olhar em relação aos clientes. Um único cliente pode ficar satisfeito, mas isso não garante que ele vá atrair novas pessoas para o negócio. Corra atrás de consumidores qualificados. Elabore um pitch da empresa e aposte muito no networking para mostrar que sua empresa existe.

Não manter contato com o governo

Empresas que mantém um relacionamento com seus governos (seja municipal, estadual ou federal) têm uma probabilidade menor de fechar. Principalmente por estarem sempre envolvidas em licitações públicas, programas de incentivo e até mesmo se posicionando como parceiras. O contato com iniciativas governamentais pode reduzir a incerteza e a volatilidade das vendas. Fique sempre atento ao que acontece no ambiente político.

Culpar o setor

Um estudo do Ibmec São Paulo e do Sebrae mostrou que o setor em que a empresa atua (comércio, serviços ou indústria) não possui grande efeito no fechamento da empresa. O problema não está em um setor saturado: se um empreendedor não explora as necessidades e oportunidades, pode estar condenando o próprio negócio mesmo que exista demanda ou interesse do consumidor.

Ver a concorrência como um problema

As empresas concorrentes não configuram um risco de fechamento para negócios de pequeno ou médio porte. Ao contrário do que se pensa, a concorrência estimula a criação de novas práticas, melhorias na gestão e estudos para encontrar brechas no mercado. Por conta disso, é importante observar o que as outras empresas estão fazendo e como você pode se diferenciar, em vez de encará-las como inimigos.

Não criar um Plano de Negócios

Ter um Plano de Negócios, entender e estudar o seu empreendimento antes de começar a trabalhar é um ponto que diferencia bastante seu negócio. Principalmente quando a empresa é mais jovens, ele evita muitos riscos que podem levar à falência. Mesmo que você não tenha experiência no ramo, buscar capacitação e planejar muito bem como o seu negócio vai funcionar ajuda a antecipar problemas, aprender mais sobre finanças e encontrar a melhor maneira de se inserir no mercado.

Pensar que pode fazer tudo sozinho

Querer dar conta de tudo é um erro que quebra a empresa aos poucos. Assim como em qualquer projeto pessoal, um empreendedor deve contar com o apoio de pessoas próximas e de outros profissionais, para agregar conhecimento ao negócio. Não é para deixar qualquer pessoa dar pitaco na empresa, mas as relações sociais podem fornecer informações ou trazer benefícios – como um olhar do consumidor ou experiências prévias no mundo dos negócios.

Não aproveitar bem as oportunidades

Participação em feiras, novos clientes, patrocínios de eventos, licitações ou parcerias ajudam a destacar a sua empresa e podem até facilitar a solução de algum problema financeiro. Quem deixa esse tipo de oportunidade de lado acaba se fechando em uma bolha e reduzindo o potencial do negócio. Busque sempre por novas informações antes de tomar uma decisão, estabeleça objetivos e veja que tipo de oportunidade (ainda que pequena) pode auxiliar você no crescimento e sobrevivência no mercado.

Tem uma empresa? Comente esse post e compartilhe um pouco das suas experiências com a gente! 😉

Deixe um comentário